Operação contra fraude aponta prejuízo superior a R$ 3,5 milhões; houve buscas em São Lourenço do Oeste

Policial
São Lourenço do Oeste (SC) | 08/07/2019 | 18:46

Informações: Redação Minutta e Polícia Civil
Foto: Prefeitura de São Lourenço do Oeste

A Polícia Civil de Santa Catarina, a partir de investigações em curso pela Delegacia de Polícia de Fronteira (DPCo-Fron) de São Lourenço do Oeste (SC), cumpriu quatro mandados de prisão temporária, oito mandados de busca e apreensão e sequestro de bens, em procedimentos em trâmite que visam apurar o crime de associação criminosa voltada para a prática dos delitos de estelionato, duplicata simulada e lavagem de capitais.

Os mandados foram cumpridos nesta segunda-feira (8), mas as investigações tiveram início a partir da notícia de que duas dessas pessoas presas temporariamente vinham se valendo de um estabelecimento comercial para a prática de diversas fraudes nas cidades de São Lourenço do Oeste, Pato Branco (PR) e Chapecó (SC), entre outras dos Estados catarinense e paranaense.

De acordo com informações da Polícia Civil, outras duas pessoas também foram presas temporariamente na operação desta segunda, intitulada Iceberg. Há suspeita de participação na associação criminosa, já que supostamente vinham prestando auxílio direto na ocultação dos produtos dos crimes, bem como na ocultação do patrimônio vinculado aos demais coautores e pessoas jurídicas (um grupo comercial) relacionadas.

Conforme a polícia, até agora há indícios de que o grupo vinha praticando diversas fraudes contra o comércio em geral com o fim de obter vantagens econômicas indevidas, sem qualquer intenção de saldar as dívidas contraídas. Ainda, se valiam de mecanismos destinados à ocultação dos produtos e proveitos do crime, bem como de lavagem de capitais através da ocultação do patrimônio existente, mantendo em prejuízo diversos estabelecimentos catarinenses e paranaenses.

As ocorrências registradas até o momento indicam prejuízos as vítimas superior a R$ 3,5 milhões.

Prisões temporárias

As prisões temporárias têm prazo de cinco dias - podendo ser prorrogado por igual período - e foram  decretadas como medida imprescindível para a investigação policial. O sequestro de bens visa coibir a prática de disposição fraudulenta das coisas.

Buscas

As buscas foram cumpridas nas cidades de São Lourenço do Oeste, Vitorino (PR), Quilombo (SC) e Chapecó e o resultado foi a apreensão de três caminhões em mercadoria, além de apreensão de um barracão e nove veículos, entre carros, caminhões e uma motocicleta.

A polícia pediu o bloqueio de contas bancárias com o objetivo precípuo de assegurar os efeitos da condenação, além de reparação de eventuais danos a serem verificados no curso da investigação. A operação policial contou com a presença de mais de 30 policiais civis, todos da Regional de São Lourenço do Oeste. Os presos foram encaminhados para os Presídios de Xanxerê (SC) e Chapecó.